Ómega 3 – Benefícios

O ácido linolénico, também conhecido como ómega 3, é uma gordura poli-insaturada que não é produzida pelo organismo e, portanto, deve ser obtida a partir da alimentação. Podemos encontrar este ácido em alimentos de origem animal: peixes como a sardinha, arenque, cavala, salmão, atum sendo recomendado o seu consumo pelo menos duas vezes por semana, cozidos, grelhados ou assados.  As fontes de origem vegetal incluem nozes, castanhas, amêndoas, linhaça, girassol, soja, óleo de canola, abacate e azeite. 

Evidências científicas demonstram inúmeros efeitos positivos do omega 3: 

  • Efeitos anti-inflamatórios, com possíveis benefícios para condições patológicas como doenças cardiovasculares, aterosclerose e diminuição da agregação plaquetária.
  • Ajudam a combater várias doenças autoimunes, incluindo diabetes tipo 1, artrite reumatóide, colite ulcerativa, doença de Crohn e psoríase.
  • Melhoram a arritmia e variações na frequência cardíaca, além de reduzir a frequência cardíaca basal.
  • Forte aliado na saúde ocular. 
  • Melhora o desempenho cognitivo e ajuda na prevenção de doenças degenerativas como o Alzheimer.
  • O ômega 3 também apresenta benefícios na gravidez, contribuindo para o desenvolvimento neurológico do bebê e prevenindo partos prematuros.

 O consumo excessivo é raro, mas pode acontecer, especialmente se o indivíduo ingerir suplementos de óleos de peixe e adicionalmente consumir com regularidade alimentos enriquecidos em ómega 3 actualmente disponíveis no mercado. 

Então que quantidade de omega-3 devemos ingerir por dia?

De um modo geral, algumas organizações de saúde recomendam uma quantidade diária de 250 a 500 miligramas (mg) de EPA e DHA para adultos saudáveis. De qualquer modo é importante consultar a nutricionista, para lhe indicar as quantidades de acordo com as suas necessidades, idade, peso, e condições de saúde.